Buscar:



Resultados:

29.08.2005

BROTOEJAS FOSFORESCENTES DE INVEJA

el pupo em bangkok.
Zifio, tudo contigo.
Mando vibrações positivas, coloridas e apimentadas.

por Ticcia, às 15:00 de 29.08.2005 - Categoria: Ali Jabah
Ver Comentários

01.10.2004

Concisa, precisa e conclusiva

CIÚME = de cio - s. m.,

zelos amorosos;
emulação;
inveja;
sentimento que provoca o desejo de imitar ou suplantar alguém;
estímulo;
incitamento;
competência;
rivalidade.


Então tá.
por Ro, às 00:35 de 01.10.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

10.11.2004

A PREFERIDA DO BARDO

Há algum tempo, li o texto abaixo numa página muito interessante e me surpreendi com o sofisticado mecanismo da inveja. Tornei a ler e tive vontade de publicá-lo.

O texto completo, muito interessante e rico, com suas referências bibliográficas, encontra-se aqui.

A INVEJA
Por Mário Quilici


(...)Creio que o grande problema do ser humano nos dias atuais, é a constituição precoce de um sentimento de insuficiência. Esse sentimento, deixa o indivíduo com a sensação de que não tem habilidades para modificar nada ao seu redor e portanto, não pode mudar seu ambiente. Sentindo-se assim, o indivíduo terá como padrão a passividade, a dependência, a raiva e a inveja.

Para compreendermos isso, vamos ver as quatro fases especificas e que vão se constituir na inveja propriamente dita:

1- Primeiramente o indivíduo olha um objeto, situação ou um traço de alguém que imediatamente admira. Compreende a importância daquele traço para ele. Ou seja, vê, admira e deseja.

2- No momento seguinte há uma comparação entre o que o outro tem e o que o indivíduo não tem. Ele toma consciência de uma falta sua porque já discrimina. Aqui o processo cognitivo é importante.

3- Ai então o indivíduo tem o terceiro momento da inveja que é a percepção e ao mesmo tempo, a vergonha, de uma falta nele do que foi admirado (e valorizado) no outro. Surge aí, também, e a constatação de que aquilo que desejou, é impossível de ser obtido por ele.

4- Logo estamos na quarta e última fase: A inveja é disparada pela percepção de uma falta no indivíduo. Essa insuficiência faz com que ataque e conseqüentemente espolie o objeto invejado para fazer desaparecer a diferença que foi percebida.

Podemos observar que a insuficiência é uma condição inerente a todo invejoso. O invejoso se sente insuficiente diante de determinado aspecto do objeto (do invejado), e é justamente esse traço que é invejado. O invejoso discrimina dentre uma infinidade de traços, aquele que lhe falta. Há grande precisão na discriminação do que vai ser invejado. O que é invejado, não precisa ser necessariamente material. Como a inveja está sempre relacionada às deficiências do invejoso, pode ser despertada por uma habilidade, uma qualidade, um vínculo afetivo ou por um objeto concreto. A descriminação está no centro da inveja pois, o indivíduo tem que interpretar um evento e descriminar aquele aspecto do objeto que é desejável. Vejamos que há uma disposição para a seletividade, a preferência, que poderia ajudar o indivíduo a conhecer suas próprias necessidades e buscar formas coerentes de solucioná-las. Além disso, o mecanismo envolvido na inveja, implica na existência de uma escala de valores construída.

Mas é o sentimento de insuficiência que faz com que o traço visto no outro torne-se uma insuportável fonte de vergonha para o indivíduo. Dessa forma, a vergonha, obscurece a capacidade positiva do indivíduo que é a capacidade de discriminar com precisão e estimula o desejo de espoliar. Então a principal qualidade do invejoso (discriminação) é destruída na medida em que é ignorada.

A espoliação, é um componente fundamental e que, com o sentimento de insuficiência, diferencia a inveja de outras emoções, como por exemplo, a cobiça. Muitos autores insistem em afirmar que a espoliação tem como objetivo, esvaziar o objeto de suas qualidades positivas, com o que eu concordo. Só não estou de acordo com a idéia de que a espoliação tenha como objetivo a destruição do objeto. A espoliação se dá por uma única razão: o medo de perder o objeto. Através do contato com inúmeros pacientes de psicoterapia, acabei por concluir que a espoliação é motivada pelo medo de perder o objeto. A motivação do homem é sempre o amor, mesmo quando ele é dominado pelo ódio, houve um amor que o frustrou. O indivíduo idealiza o objeto e fica insuficiente diante dele. Um objeto tão grandioso, faz um contraste quase que absurdo com a insuficiência do indivíduo. É só pelo ato de destituir o objeto de suas qualidades maravilhosas, que o indivíduo sente que pode ficar próximo dele. Creio que essa é a função da espoliação. A culpa daí advinda está entre os mecanismos autodestrutivos mais importantes.



Leia o texto completo aqui.

por Ticcia, às 08:15 de 10.11.2004 - Categoria: Dicas Divinas
Ver Comentários

17.09.2004

A BOA AÇÃO DA SEMANA

Mais uma amiga resgatada do total fracasso capilar.

Aline, colega de trabalho, amiga querida e ex-fracassada capilar, seguiu os conselhos de Ticcia e entregou as madeixas a André, o cabelereiro mais lindo, maravilhoso, tudo de bom e talentoso de Gay Harbour. Como se não bastasse, ele é grisalho e tem olhos azuis. Você corta, tinge, vivifica. O colírio é de brinde.

Resultado: a moça tá ôtra de cabelos renovados, corte up-to-date, ares novaiorquinos, colhendo elogios e sendo alvo de inveja das péssimas de plantão.

Por isso é que eu digo: Não há mulher fracassada. Há mulher pobre ou mal orientada.

por Ticcia, às 15:54 de 17.09.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

24.09.2004

SEM O RÓTULO, S'IL VOUS PLAÎT

Alguém aí poderia me dizer porque diabos todo avental tem que ter rótulo tipo "Churrasqueiro", "Pizza", "Love", ideogramazinho japonês e a pótaqueloparió?
Não pode não dizer nada?
Não exéste avental mudo?
Pretinho ou branquinho, lisinho, sem nada?
Caceta.

Afffff, como é difícil ser simples, básica e chique.



Atala, meu ruivo, que inveja eu tenho d'ocê. Vem ser chef em Gay Harbour pra ver a dificuldade que é.

por Ticcia, às 15:06 de 24.09.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

18.11.2004

A Noite de São Bartolomeu...

Sempre fui fã incondicional de Catarina da Rússia, com seus vestidões, suas torneiras de outro e, especialmente, seus soldados. Eu diria que a cavalaria de Catarina, ou melhor, a relação da soberana com seus cavaleiros e a soldadesca do reino em geral, é o que realmente sempre me interessou. Até uma pontinha de inveja é possível que tenha.

De qualquer forma, aviso aos navegantes que durante os próximos meses vocês terão o especial prazer de conviver com Catarina, cujo espírito acaba de baixar em mim. Não o da Rússia; baixou foi Catherine de Médicis.



A Degola, 24 de agosto de 1572.

por Ro, às 16:30 de 18.11.2004 - Categoria: Tolerância Zero
Ver Comentários

01.12.2004

A Aventura do Amor Bem-Sucedido

Em qualquer fase da vida adulta, buscamos relações nas quais possamos nos sentir felizes e aconchegados. E a sensação de aconchego nós temos quando estamos com aqueles que amamos: familiares, amigos e amantes. Neste texto, não vou falar, explicitamente, sobre as relações fortalecidas pelos laços de sangue. Vou me referir a relações de amor que são iniciadas e mantidas pelas nossas próprias escolhas, amores muito semelhantes: a amizade e o amor sensual.

O processo de encantamento amoroso segue padrões de escolha bem definidos e claros. A pessoa que nos desperta o encantamento é especial, da qual não podemos ficar afastados mais do que algumas horas. De criatura comum, ela se transforma em ser especial: no objeto do nosso amor.

Ocorre que a pessoa comum foi escolhida por nós para se tornar especial porque possui uma série de qualidades e defeitos que nos pareciam adequados naquele momento. As qualidades da pessoa nos atraem, porque provocam admiração, ao passo que os defeitos nos repelem, porque nos decepcionam. Logo, o amor deriva da admiração.
[clique aqui para ler o texto na íntegra]
por Ro, às 10:54 de 01.12.2004 - Categoria: Crônicas Cretinas
Ver Comentários

09.09.2005

Da Série CORRESPONDÊNCIA SECRETA d'aqui e d'alem mar...

Megera-mãe diz:
Oi Ro...Obrigada pelos e-mails...Espero continuar recebendo.
Eu já to com saudade, e tu também não é sua vaca?
Beijos, Angel


Marida-abandonada diz:
eu não to, não.
quero que ela se EX-PLO-DA!
beijo


Megera-mãe diz:
Dona Roberta...até por e-mail dá pra ver quando uma pessoa MENTE e tá M O R R E N D O de inveja....rsssssssssss
Beijos (Eu gosto de tu)
MEGERA-MÃE


Marida-abandonadora diz:
Meus amores,
cheguei.
(censurado, hahahaha) A viagem foi muito tranquila, mas longa e cansativa. Duas horas na fila do controle de passaporte. Tudo valeu a pena. Tô feliz, feliz, feliz... ainda não vi nada da cidade, mas (piiiiiiii).
Dou mais notíccias depois.
Amo vocês.


Vá pro diabo que te carregue!


por Ro, às 09:45 de 09.09.2005 - Categoria: Correspondência Secreta
Ver Comentários

23.09.2004

Da Série CORRESPONDÊNCIA SECRETA

O povo se morde porque eu tenho Cristo ao meu lado. E-mail de um gostoso...

************************

"De: Gostoso
Para: Ro
Enviado: quarta-feira, 22 de setembro de 2004 21:17:23
Assunto: Jesus não é páreo pra Roberta, a estagiária

Está aberta a competição de estagiários...

Pra começar, hoje eu cheguei das audiências e a Roberta tinha feito todas as minhas pastas de estagio probatório, que são cinco, com mais de duas mil folhas numeradas e em ordem cronológica, com adesivinhos e divisórias e tudo mais. Do lado tinha um saquinho de pipoquinhas doce que ela sabe que eu adoro...
Jesus é chinelo perto disso...


*************************

Primeira observação: A inveja é uma merda!

Segunda observação: Com esse nome, a guria só podia ser perfeita!

Terceira observação: A racha é das minhas, "saquinho de pipoquinhas doce que ela sabe que eu adoro...", tá querendo dar pra ele.

CONCLUSÃO: Jesus, caminha mostrar serviço e me bajular!!!




por Ro, às 12:37 de 23.09.2004 - Categoria: Correspondência Secreta
Ver Comentários

10.11.2004

NINGUÉM MERECE

Mode "MALAS SEM ALÇA, AQUI" definitivamente ON.

Você não tem nada de útil pra fazer na vida e está procurando um judas pra malhar? Está precisando desesperadamente destilar um veneninho? Dormiu com a bunda destapada? Foi demitido? Broxou? Tá em TPM? Faz mais de mês e meio que não pega ninguém? Quer se auto-flagelar e não sabe como? A inveja dos outros é tanta que está brotando para fora das orelhas? Nem você se agüenta mais? Precisa de um saco de pancadas? Está frustrado com a sua vida miserável e sem sentido? A melhor coisa que você sabe fazer é tecer considerações idiotas e medíocres e críticas destrutivas recheadas de ressentimento?

SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

DESCONTE EM NÓS!

(A GENTE NÃO GANHA NADA, MAS SE DIVERTE HORROOOOOOOOOOOOORES)


por Ticcia, às 14:42 de 10.11.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

07.07.2004

Da série ENTENDENDO OS EQÜINOS...


Eu e a linda Shane, que mata de inveja todas as mulheres de Fred West com seu porte de princesa inglesa, estavamos nos entupindo de doces agora há pouco quando ela me larga essa:


- Rô, tem uma explicação porque quando a gente tá no início da paixão TODOS os homens pelos quais nos interessamos antes nos ligam? Não atendemos o celular porque o nosso amor é ciumento, e depois não damos retorno pra não sentir culpa. Daí quando o nosso namoro termina, nem adianta ligar porque eles já tem namorada ou não se lembram mais da gente. É ou não é?

- É, pior.

- Não. Pior é essa fase logo após o fim do namoro, quando a gente passa na rua e nem o cavalo do policial fica excitado. Pode observar: nos dois primeiros meses depois que a gente termina um namoro nem cavalo fica excitado nos olhando.

- Shane, isso era TUDO que eu precisava ouvir nessa hora
.



Originalmente postado por Ro
por Ro, às 21:15 de 07.07.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

02.09.2005

FELICIDADE PRA MIM.

A professora da pré-escola pergunta à menininha de avental rosa o que é felicidade. Ela responde, do alto dos seus 5 anos e meio, quase sem pensar: "Ser bom por dentro e por fora; não ser ruim nem por dentro, nem por fora."

Chama atenção o que pode aparentemente ser uma redundância: ser bom e não ser ruim, e também o “por dentro” e “por fora”.

Ter o que se passa no de dentro de acordo com o de fora, o consciente e o inconsciente, em harmonia. Ter o de dentro livre de traumas, recalques, tristezas, ressentimentos, culpas, inveja, egoísmo, rancor, amargura: ser bom por dentro. Ser assim também por fora: ter a quem amar, ser amado, ser generoso, ser olhado, ser reconhecido, saber reconhecer.

Não ter sujeira no de dentro e querer ser bonita no de fora - até porque, cedo ou tarde, o feio aparece, vem numa golfada, vomita-se quando menos se espera. Reconhecer o ruim e poder tirá-lo de dentro. Depois, poder ser bom por fora de verdade. Ficar bom por dentro e por fora. Algo para se buscar ao longo da vida. Felicidade, sim, é isso mesmo.

O surpreendente é que depois de ter tido muitas outras concepções de felicidade na vida (um corpo perfeito, sucesso profissional, um grande amor, viagens dos sonhos, uma família bonita, saúde, grana), aprendo que felicidade é mesmo o que eu pensava que era, 27 anos atrás: "Ser bom por dentro e por fora; não ser ruim nem por dentro, nem por fora."

por Ticcia, às 09:40 de 02.09.2005 - Categoria: Crônicas Cretinas
Ver Comentários

23.09.2005

Tá quase terminando o calvário...

Luminárias beringela (ou cru), vermelha e branca - OK, vermelha e cru
Capacho para a porta - OK
Sofá branco 3 lugares - OK, 2 lugares
Escorredor de macarrão - com a Adelaide
Pufes vermelhos - OK
Bacias de plástico - com a mana Rafaelinha
Saca-rolhas - Ok
Cortinas das salas e dos quartos - tirar as medidas e mandar fazer
Balde - OK
Potes para mantimentos - retirar da lista, não vou usar nunca
Aparador da sala de jantar - OK, uma cristaleira
Bandejas - OK
Formas para microondas - OK
Cadeiras da sala de jantar - OK
Cadeiras da sala de estar - OK
Telefone - procurar branco pequeno
Cesta de lixo pequeno e grande - OK, o grande
Quebra nozes - vozinha
Tampo de vidro da mesa da sala de jantar - OK, substituido por mesa de madeira
Escova para migalhas - ver no brique
Colheres de pau - ver no brique
Ralador - ver no brique
Cortador de queijos - pedir para tia Shirley
Almofadas vermelhas e brancas - OK
Descansos de travessa - com a Solineuzza
Rodo de pia - com a Marli
Porta CDs de parede e de chão brancos - OK
Tapete para o banheiro - pedir pra vozinha fazer
Espátula de queijo - ver com a mãe
Mesa de centro branca (de preferência com tampo de vidro) - OK
Concha para sorvetes - ver com a Rose
Abridor de latas - super
Estantes rasteira e modulável brancas - OK
Carrinho de feira - retirar na lista, não vou usar nunca
Cinzeiro vermelho de chão para o Edemilson - OK, todos morrerão de inveja
Divã (pensar na cor, hum, talvez branco) - ai...

por Ro, às 08:54 de 23.09.2005 - Categoria: Miudezas em geral
Ver Comentários

22.08.2005

PERCA PESO AGORA, PERGUNTE-ME COMO

Meio copo de suco de laranja e cenoura ao acordar. Que coisa mais horrível. Mas é anti-oxidante e pra não enferrujar a gente faz qualquer negócio.

Chego no trabalho e muita água nesse corpo. Até às 10h já tomei 750 ml e fui 3 vezes no banheiro. Devo ter perdido umas 300 cal no percurso, que hoje o banheiro mais próximo tava em manutenção.

Às 10h, um copo de iogurte Do Tambo, naturébs, gotosébs e com mamão que, bem, ajuda a eliminar toxinas, se é que vocês me entendem.

Almoço no xópim c'a marida. Já aviso que o meu negócio é sopa e tals. Eu peço um consomê de abóbora com croutons que, cá pra nós, é sopinha de moranga batida no liquidificador com uns quadradins de pão torrado. A marida comeu isso e mais uma baguete leeenda, com queijo derretido e tudo. Gastei 500 cal em baba e inveja. E, como já tinha perdido mais que ingerido, tomei um mini-mini-mini chocolate quente de sobremesa. Ah, não podia? Podia sim. Vão cuidar da vida de vocês.

Às quatro da tarde, Ticcinha toma um café com adoçante e devora lautamente um pacote de bolacha Clube Social integral como se fosse o chá das 5 no Ritz.

Chega em casa em surto psicótico de fome, espera de pé ao lado do fogão a sopa aquecer, na esperança que seu apoio moral ajude. Come três pratos de sopa de verduras e frango parecendo uma escavadeira desgovernada. Me dou o direito de um alpino de sobremesa. Tá, já sei, é o segundo chocolate do dia, mas caraca, eu tô na TPM.

E isso tudo não é pra fazer um editoril da Vogue, não. É só para não sair de férias fantasiada de salsichão naquele conjuntinho rosa que a gente a-do-ra.

por Ticcia, às 22:47 de 22.08.2005 - Categoria: Dieta
Ver Comentários

23.08.2004

Megeras Magérrimas Recomendam...

Já que o assunto hoje é cinema, tanto o inglês quanto o brasileiro são imperdíveis!

*****************




Scarlett Johansson está irresistível. Quando ela umedece os lábios você jura que é uma virgem de 17 anos, e nunca acreditaria ser a mesma senhoura que deu pro Benício Del Toro no elevador, durante a premiação do Oscar deste ano.

A fotografia e o figurino são impecáveis e a trilha sonora não deixa a desejar. Fora o aprendiz de açougueiro, que a Ro faria ceeeeeerto!

E o que dizer do Colin Firth? Perfeito em O Diário de Brigitt Jones, perfeito em Simplesmente Amor e absolutamente perfeito em Moça com Brinco de Pérola. Além disso, a Megera não consegue resistir a homens de cabelos compridos, não adianta nem tentar...

*****************





Eu li o livro do Fernando, foi minha primeira biografia. Fabuloso. O filme escolhe certas passagens da vida de Olga, que para uma militante esquerdista que se preze, a gente conhecemos desde pequena (tá, mais nova!), mas é fiel ao livro.

Chama a atenção a interpretação pura da Camila Morgado. Não pelos quilos que ela não tinha e perdeu, mas pela densidade sem exageros que tornou a Olga da tela verossímel. A cena do parto de Anita Leocádia, e Camina não tem filhos, tá o tom do que estou falando.

Floriano Peixoto nos apresenta um Filinto Müller completo de inveja e rancor. O riso no olhar durante as seções de tortura faz com que, mesmo quem não conheça história, consiga sentir desprezo. Fernanda Montenegro, para variar, rouba todas as cenas em que aparece, sem fazer esforço.

E o que dizer do Caco Ciocler? Monjardim testou cerca de 40 atores antes da escolha definitiva. Ele foi a melhor coisa em Sexo, Amor e Traição e continua sendo a melhor coisa, boferisticamente falando, em Olga. Se bem que a gente vimos o Murilo Rosa pessoalmente e...
por Ro, às 17:03 de 23.08.2004 - Categoria: Ali Jabah
Ver Comentários

18.10.2004

Da Série DOENÇAS NOSSAS DE CADA DIA...

Aqueles que conhecem esta Megera na intimidade (uuuuuuaaaaaaaauuuuuu, não revelem detalhes anatômicos, meus queridos, por favor...) sabem do extremo prazer que tenho em ler e estudar. Sabem também que uma das características da minha personalidade é a necessidade de compreender de forma racional os mecanismos internos da psique para poder aceitá-los. Por este motivo, a gorda aqui trás sempre pendurado no braço artigos e livros de psicologia e psiquiatria.

Sim, eu sei que sou louca. Mas eu me trato: sou uma louca consciente. Na verdade, uma procuratriz metida que estuda psicologia leigamente. Portanto, os psis de plantão que acompanham este blog não precisam entrar em pânico. A tia conhece suas próprias limitações, se é que vocês me entendem...

Leigamente, pode-se definir o narcisismo com o estado em que a libido é dirigida ao próprio ego; vulgarmente conhecido como amor excessivo a si mesmo. E nessa linha, a personalidade do tipo “narcisismo compensatório” é facilmente perceptível por meio do padrão de instabilidade emocional, reconhecido em comportamentos que são derivados de um sentimento intenso e subjacente de insegurança e fragilidade.

Os sintomas se estabilizam na adolescência e apresentam-se numa variedade de contextos, cujo mais comum é procurar criar a ilusão de superioridade e tentar passar uma imagem de segurança e autoconfiança, concomitantemente ao esforço para obter reconhecimento e prestígio com o objetivo de compensarem seu sentimento de falta de valor. Via de regra, também apresentam atitudes depreciativas na qual ridicularizam e degradam as realizações das outras pessoas, pois têm persistentes aspirações por glória e status, somado a uma forte tendência para exagerar e ostentar.

O problema no trato diário com pessoas que sofrem deste tipo de distúrbio de personalidade é que você, leigo no estudo e na analise clínica da psicologia, não consegue identificá-las de cara. Daí, meus chapas, termina convivendo com criaturas insanas.

Vejam bem, não é fácil distinguir e ajustar as manifestações de uma personalidade narcisista compensatória com as manifestações dos sentimentos chamados “pequenos” que todos nós possuímos. Assim, num primeiro momento, você acredita que aquela dose de inveja que restou evidenciada no comentário “X” constitui apenas a dose comum de inveja que todo ser humano normal possui. Você não percebe que aquela frase arrogante embalada em falsa grandiosidade esconde a vulnerabilidade ao julgamento alheio, porque você acreditava na normalidade nossa de cada dia que costuma distrair-se com fantasias de genialidade em busca da perfeição. Nada mais salutar que a busca de fazer/dar o seu melhor.

Uma das formas mais fáceis de se reconhecer um narcisista é através da observação de suas reações quando são criticados. Via de regra, respondem com uma cascata de justificativas infantis, afastando sua responsabilidade na situação, pois uma das características dos narcisistas é viverem em estados que são muito semelhantes àqueles encontrados nos bebês. Você se lembra das reações de um bebê quando quer alguma coisa? Toda a criança é essencialmente egoísta e cruel até mais ou menos os 3 anos de idade. Com o desenvolvimento normal da personalidade é que as crianças aprendem a se colocar no lugar do outro e descobrem o sentido da generosidade.

O relacionamento com um adulto narcisista é a pior experiência que alguém pode ter, porque são egoístas, perversos, cruéis e destituídos de qualquer senso moral. Seu comportamento demonstra inclinações para a violência psíquica contra os outros e, infelizmente, há mais opções para lidar com os problemas de comportamento de uma criança normal do que com o narcisismo de um adulto.

É necessário pensar sobre como podemos ajudar essas pessoas e a nós mesmos criando um ambiente no qual o narcisismo de seus líderes torne-se ineficaz. É necessário que criemos um ambiente no qual o narcisismo das crianças seja aquele normalmente encontrado no início da vida e que depois seja substituído pela integração e pela maturidade. Penso que para cumprir essa tarefa devemos refletir, pois no próprio esforço que se obtém a partir da consciência é que vislumbramos o caminho correto. Enquanto está embaixo do tapete, você pisa na sujeira e não vê, apenas quando trazemos para o plano do consciente é que podemos fazer alguma coisa a respeito.

Mais informações sobre este assunto podem ser encontradas aqui.
por Ro, às 12:12 de 18.10.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

30.09.2005

Lacan explica...

Ela chega na sessão de análise. Encontra uma velha na recepção. Ela sabe que a sessão inicia na sala de espera, mas não estava acostumada a encontrar com outros paciêntes; era no máximo um cruzar de olhos enquanto um saía e outro se preparava para entrar. Ela cumprimenta a velha, que não responde, e pega o jornal.

Alguns minutos depois, o doutor-das-idéia abre a porta e a velha entra. A moça segue lendo o jornal.

Logo depois, um homem entra na sala (estatura mediana, magro, sem barriga, cabeço bem curto, de jeans azul, tênis adidas preto e vermelho com detalhes em branco, camiseta preta com camisa preta solta por cima, ouvindo discman) e trocam cumprimentos de bom dia.

A moça seguiu lendo o jornal, com as folhas cobrindo-lhe totalmente o rosto, e ficou com uma sensação estranha. Ele interrompeu:

- Desculpa, acho que me enganei. Teu horário é às 10h?
- Às 9:30h.
- Ok.


A moça deu-se conta de que estava com o rosto coberto e ficou pensando o porquê. Largou o jornal. Depois fez a conexão de que a inveja e a admiração possuem a mesma vertente e que ela sabe que só vai conseguir amar um homem que se trate. E sentiu vontade de rir de si mesma por estar com o rosto coberto.

Passado algum tempo, outra mulher abre a porta, com voz de velha:

- Acho que me enganei. É aqui o gastro? Ele responde:
- Não. A senhora perguntou na portaria?
- Perguntei mas eles falam muito rápido...
- Não é aqui, não.


A velha fecha a porta. A moça, que não podia ser vista e nem ver a velha, caiu na risada. Ele também riu:

- Não é gastro, né?
- Também.
- É, bem que eu gostaria de tomar um antiácido.


Ela sorriu e ele pegou o jornal. Desligou o discman. Folheou rapidamente o jornal:

- Eles acabaram com a seção de horóscopos!?

Ela soltou uma gargalhada:

- Acho que sim.
- E depois de anos de análise a astrologia é que descobriu o meu problema.


Ela continua rindo.

- O meu signo solar é capricórnio, terra. O ascendente é escorpião, água. A mistura de terra e água dá o que?
- Barro.
- Pois é, lama.


Eles continuaram rindo, e falaram de Salvador, de vinho do Porto, de ritmos de trabalho. E o doutor-das-idéia abriu a porta pra primeira velha sair. E eles seguiram falando de fado, de melancolia e malemolência. E o doutor-das-idéia abriu a porta pra moça entrar e ir pra caminha, cada vez mais convencida de que o homem da vida dela está em algum consultório por aí...


por Ro, às 15:31 de 30.09.2005 - Categoria: Estórias da Carrocinha
Ver Comentários

07.12.2005

TODO TIRANO NO FUNDO É UM FRACO

Sabem o que acontece quando um merda consegue alguma parcela mínima de poder? Ele faz merda, evidentemente. Mas vocês sabem porquê ele faz merda?

Faz por que ele tem a exata noção do quão ínfimo e pequeno é o seu talento, ainda que inconscientemente. Ele admira a criatividade, o senso crítico, o espírito livre e empreendedor, a liderança natural, a extroversão, o carisma, o bom humor do outro, mas não reconheci em si mesmo a capacidade de desenvolver estas características. E como não é capaz de absorver e expandir as características que admira no outro mas não enxerga em si, ele se ressente. Ele inveja.

Contudo, o merda não sabe que é um ressentido, um invejoso. Eventualmente, ele acha que foi injustiçado por Deus, e não por acaso crê ser injustiçado pelos homens em geral. Por que todos paparicam a Fulaninha se eu sou tão mais legal que ela?! Por que, Senhor, as pessoas fazem tudo que o Sicraninho diz se nem chefe o Sicraninho é?!

O merda não está no mesmo degrau, está alguns degraus abaixo. Sabe disto. Sente isto. Jamais admite isso. E como ele precisa chegar ao mesmo patamar e não reconhece em si qualidades suficientes para subir, a única alternativa é fazer com que os que estão em cima desçam até ele. Só que aqui surge um probleminha: alguns estão muito acima dele e, por mais que ele se estique, não conseguirá alcançá-los. Resta aqueles que estão acima, mas não muito: o merda precisa de companhia.

Ele fará tudo o que estiver ao seu alcance para fazer com que as pessoas mais talentosas, mais inteligentes, mais gabaritadas (mas que não estejam tão longe dele a ponto de não alcançá-las), desçam até o seu nível. Usará de todos os artifícios: humilhação, berro, ridicularização, sátira, egoísmo, opressão, ultraje, vexames morais e até ofensas. Vale jogar qualquer pedra para que o outro não se dê conta da superioridade, para que o outro ache que ele, o merda, é o maior ou, caso não ache, seja obrigado a admitir. Não importa se é forçado: o simples ato de admissão de que ele é o melhor, o mais gostoso, o que tem o pau maior, o mais rico, o mais poderoso, o mais inteligente... basta para o seu ego imaturo se alimentar um pouquinho.

Vocês já notaram que este procedimento sempre ocorre com quem não tem condições de responder a altura? O merda sempre exerce seu poder com quem depende financeiramente dele (e fará tudo pra que está dependência nunca termine), com quem não pode afrontá-lo moralmente (filhos é um bom exemplo), com quem não tem artícios articulados de defesa. O merda sempre ataca alguém que não tem a exata noção de seu valor. Alguém que se acha menos, embora não seja.

Agora o que eu gosto mesmo é ver a cara de um merda quando ele se depara com um trator. Alguém que o enxerga, exatamente como ele é e deixa isto bem claro. É um prazer inenarrável. Quem sabe que é bom não tem necessidade de mostrar isto aos outros, e a si mesmo. É e pronto.

por Ro, às 14:01 de 07.12.2005 - Categoria: Crônicas Cretinas
Ver Comentários

17.08.2004

MEGERAS MAGÉRRIMAS, MUITO MAIS QUE UM BLOG


Agora que temos alguns leitores e leitoras fiéis, eu e Rozinha estivemos pensando em fundar algo para além do blog, para além das fronteiras virtuais, transcendental, tão nos acompanhando?

Consideramos as seguintes possibilidades:



1) Igreja Virtual Hexagonal Paradoxal Megerônica do Ante-penúltimo Dia

Uma igreja é sempre algo a se pensar, uma vez que as vantagen$ $ao enorme$: imunidade tributária, dízimo, doações, contribuições, etc. Além disso, poderia haver uma congregação dos nossos fiéis (leitores) em torno de uma causa maior e altruísta, desde que, claro, as causas maiores fôssemos nós mesmas.



2) Partido Pan-sexualista Democrático Socialista Megerista (PPSex)

Um partido político onde não haveria nem filiados, nem filhados, nem afilhados (que a gente somos contra incesto), que defende a liberdade de expressão, impressão, in-pressão e obsessão, a livre determinação e indeterminação sequissual e a socalização democrática do limite dos cartões de crédito internacionais, do povo, pelo povo e para o povo.



3) Organização Não Governamental Megeral Pink Grace (não confundir com Green Peace)

Uma ONG pilantrópica que defende os direitos das Megeras Magérrimas, luta contra sua extinção, promove seu bem estar e sua reprodução em cativeiro, em seu habitat natural, na chuva, na rua, na fazenda ou numa casinha de sapê, bem como pelo seu direito inalienável e irrestritível de não se reproduzir e ter acesso a todos os meios contraceptivos disponíveis no mercado farmacológico mundial, desde que não retenham líquidos nem provoquem celulites e não sejam testados em cobaias fofas, guti-guti e amorzinhas.



4) Red, Hot, Thin, Gorgeous, Spicy Women

Uma Banda de Rock conceitual onde nenhuma das integrantes sabe tocar instrumento musical algum (a exemplo do White Stripes), se vestem absolutamente de forma cool e chiquetérrima (a exemplo do Cranberries), são lindas de morrer e matar de inveja (a exemplo do The Cors), namoram homens gostosérrimos (a exemplo das Spicy Girls) e tem uma legião de fãs cegos, surdos (indispensável) e fidelíssimos que as amam de paixão (a exemplo de qualquer banda pop).



5) Megeras Magérrimas Sisters Co.

Uma Mega super hiper über holding mundial com ramificações espalhadas pelos 5 continentes e dois pólos (não as camisas, deusnoslivre, os extremos do globo) que teria uma empresa mundial de softwares (lingeries especialmente desenvolvidas com tecidos macios, sedosos e deslizantes), um banco com sede na Suíça (cartões de crédito, chocolates e esqui nos Alpes), uma empresa líder no ramos das Teles (telefonia, televisão, tele-entrega, telepatia, telecinésia, teleologia), e, claro, uma empresa de mídia (jornal, revista, gibi, TV, rádio, provedores para internet, editora – já com DOIS BEST Peter SELLERS – MPB2 e Dicionário de Megeras).



Esperamos pelos comentários propostas de investidores dispostos a tornarem-se bilhonários, OU, se indecentes, pelo e-mail da Roberta.

por Ticcia, às 10:48 de 17.08.2004 - Categoria: Geral
Ver Comentários

03.11.2003

Da série, imite a Fal que só faz coisa boa: a correspondência secreta...


"Olá, mulher!!

Como tens passado, tens "maltratado" muito o nosso amigo Arthur
(lembram daquele que me trocou por uma fatia de torta?) aí no mestrado? (Pega leve com ele, hein?) Trabalho e oficina, como estao (tens incomodado muito o ricardo lá na pge?)?

Hoje nao dormi tao bem qto ontem... espero me recuperar depois da "ciesta" espanhola. eles almoçam sempre a partir das 1400 e depois tiram uma ciesta até as 1600. todo o comércio fecha das 1400 às 1600, menos os restaurantes... bueno aqui vao algumas notas daqui da espanha... espero que vc goste... (vc poderia me conseguir o e-mail da juliana, nossa colega q está fazendo processo?)

beijos, Renato."



"Burgos (esp.) - (...) Por sorte, trouxemos um pouco de sol à Lisboa e à Madri. no voo, vinho portugues, tap, vino espanhol, ibèria. ambos bons. pilequinho aéreo. (a cia tap é muito boa...) Impressao do trânsito em Lisboa. (...) ... gostosas vao e vem... aparece uma sueca (primeira impressao), com bermudao largo, cheio de bolsos, de tenis de escalda. pele queimada. loiríssima, loiro queimado. apaixono-me. aparência de descolada (quase suja). está para ir pra orly (frança). deve ser francesa... mais mulheres bonitas... bonitas nada!! GOSTOSAS, mesmo... carregam bichos de pelúcia (é um código: concluímos, sao prostitutas de luxo ou "mulas" - gente q leva drogas... - ou as duas coisas...). uma aeromoça da ibéria é belíssima. apaixono-me pela seguna vez... tao bela qto outra da tap, que ficou no solo, em sp... as mulheres diriam que um comissário da ibéria é um gato. (penso que ele pode ser namorado da aeromoça linda... fico com inveja...) conversamos com uma garota portuguesa q está indo a copenhage... simpática ao extremo (extremamente pouco bonita...) estuda lá. diz que uma cidade cara... mais cara do que a suécia... pagou 40 contos pela passagem pra lá (40 euros...). cia aérea pequena, vendas pela internet. "flysnowflakes.com-etc. pedimos o endereço. preços ótimos para estudante... diz que a cidade, cope, é muito legal, museus, parques, noite... quando fala rápido, eles gostam de falar rápido, quase entedemos nada!! falam de um jeito engraçado... (incrível!!: o banheiro, unissex, ao lado de um portao de embarque, tem vista para a pista de pouso... do "trono" posso ver os avioes saindo... há uma fenda enorme na porta do banheiro... a pessoa de fora enxerga quem está "no trono"... terra mater.). o aero porto é algo de feio...

madri- a diferença é notável. aeroporto bonito, mais limpo e organizado... (aterrisagem fácil...) o metro è muito bom... sem sair à superfície, pegamos o ônibus para burgos (3 h de viagem...) Confirmado: na esp. a ceva e o vinho sáo mais baratos do que uma garrafa 300ml de coca. tornar-se um bukowski è muito fácil... todos fumam muito e em todos os lugares... inclusive os jovens... sobretudo eles... à toda hora!!... as espanholas sao bonitas... gostei da atitude de uma morena que entrou no bar da estaaçao de onibus... meio punk. jaqueta preta, de couro, acho. calça jeans algo surrada, azul escuro com manchas pretas. "ODIO", estava escrito às costas, na jaqueta... ("Vou por fogo em tudo, inclusive em mim!!! O meu ódio é o melhor de mim!!!") após 27 horas de viagem ainda sorrimos e rimos bastante..."


-------------------------------------------

Ô vidão, sô!

por Ro, às 23:13 de 03.11.2003 - Categoria: Correspondência Secreta
Ver Comentários

09.08.2005

UM DIA DE PRINCESA

by Solineuzza Saraiva Soares.


Bom né, então depois de uma semana acompanhando minha patroa em São Paulo estou de volta a Porto Alegre, graças a deus! Sim, porque a Soli aqui é super necessária, patroa nenhuma abre mão...

Ta né, trabalhei a semana toda fazendo faxina, cuidando de criança, fazendo almoço, não sei quê não sei que lá.... fiz amizade com umas colega do prédio... tava precisando fazer um bico, tava afim de ir num pagode no fim de semana porque ninguém é de ferro né colega... bom, então essa colega lá do prédio, a Solange, me disse que a prima dela trabalhava numa loja que tava precisando de arrumadera pro fim de semana... uma tal de Daslu...

O quê? Aquela que a dona foi presa? Mas não vô mesmo... é bem capaz de não me pagarem no fim do dia.... Ela disse que não... que pagam, que não sei o que... bom, tava precisando mesmo... me joguei né.... já tava loca pra chegar gritando: Ladrona! Maloquera! Mas achei melhor não... ta né... cheguei lá, entrei pelas porta dos funcionário... que é beeem longe da entrada das dondoca... que aliás só pode entrar de carro, não dá pra ir a pé... é mole?

Trinta conto a primeira hora de estacionamento... mais dez por hora adicional... to dizendo... ta né, a governanta mor me deu todas as instruções e lá fui eu com meu uniforme preto de aventalzinho branco... fiquei bem loca... a loja toda é do tamanho de cinco Santa Dorotéia, o colégio aqui do bairro....



O Templo da Eliana. Aleluia, irmãos!!!


[clique aqui para ler o texto na íntegra]
por Ro, às 19:32 de 09.08.2005 - Categoria: Correspondência Secreta
Ver Comentários

27.06.2005

AMORES PERFEITOS OU NÃO

Quando vi o filme Um Amor Quase Perfeito (tradução péssima de Le Fati Ignorati) saí do cinema perturbada. O filme é sobre uma mulher, casada há algum tempo com um homem que morre subitamente. Ela descobre um quadro no escritório dele, supostamente dado por uma amante. Resolve descobrir quem é a talzinha e, ta-ram, trata-se de UM amante, e não de UMA amante, com o qual o marido mantém um caso há anos, com uma vida totalmente diferente, de outros valores, outras amizades, outros gostos, outra maneira de viver.

Seria possível mesmo viver com alguém sem saber quem realmente essa pessoa é? Eu saí do cinema (à época) me perguntando da possibilidade disso acontecer, de a gente viver com alguém que tem outras vidas, que é outra pessoa para outras pessoas.

Agora eu chego a uma conclusão, tanto tempo depois. A gente é uma pessoa para cada pessoa sempre. Às vezes as diferenças são nuances, às vezes são brutais. Isso acontece no tempo e também simultaneamente, e não estou falando de esquizofrenia, não.

Não somos os mesmos no trabalho e em casa. Nossa família conhece um de nós que os amigos não conhecem. Para cada amor a gente ama e é diferente. A gente estranha os outros como se nunca tivéssemos vivido coisas com aquela pessoa. Quem já não olhou pra um ex (marido, mulher, namorado) e pensou “eu nunca fui pra cama com essa criatura”. E não foi mesmo. Com aquela criatura, naquela cama, era outro. Outro de si, outro, outra pessoa, de outra vida, de outras circunstâncias, de outro tempo ou outras convicções. E é assim. Não se trata de negar o que se viveu, ou de se arrepender (embora isso possa acontecer, claro), mas de não achar mais um mínimo de conexão entre seres. As situações, as experiências cumpriram seu papel. O que havia de substancial, se foi bem vivido, aderiu, passou a fazer parte, tornou-se um elemento incorporado ao que somos agora, mas já não somos mais o que éramos, não há em nós nada que possa andar de mãos dadas com o outro.

Há pessoas que fazem com que a gente floresça todos os ramos, brote todos os galhos, sejamos o que de melhor podemos ser. São pessoas que a gente ama e que nos possibilitam nos deixar amar por elas e por nós mesmos. Nos apaixonamos por elas e pelo que elas nos habilitaram a ser.

Há as que despertam o que há de pior em nós: a mesquinhez, a inveja, o rancor, a amargura, a tirania, a doença. Também precisamos delas, como precisamos de uma tomografia ou um raio x. Precisamos localizar onde dói, o que faz doer, o que causou aquilo, para poder curar. O que não se pode é empacar entre o diagnóstico e a cirurgia. É onde entra a coragem de ser feliz.

Um grande amigo, não por acaso médico de cabeça, me disse que há muito tinha se convencido de que as pessoas são tão mais felizes quanto podem se permitir ser elas mesmas. Acho que é isso. Mas ser a gente mesmo às vezes implica ser diferente conforme a circunstância, conforme o outro, conforme o caso. Implica ir se metamorfoseando.

E assim, somos um grande mosaico mutante de muitas faces, muitas vidas, muitos de nós mesmos para muitos outros, que a gente espera que vá ficando cada vez mais bonito, que a gente espera que vá podendo ser cada vez mais fiel ao que somos, ao que queremos ser, ao que sonhamos nos tornar.



Óquei, óquei. This is too much Yellow Submarine para uma segunda-feira pela manhã. É o que dá passar o fim de semana a chá verde com menta, torta crocante de chocolate, filme cult e papo cabeça c'os amigos. Prometo stop taking drugs so early in the morning.

por Ticcia, às 10:28 de 27.06.2005 - Categoria: Crônicas Cretinas
Ver Comentários

15.07.2005

A RECONSTRUÇÃO DO AMOR PELO AMOR

Tenho vários exemplares de Drácula, do Bram Stoker. Versões em inglês, espanhol, francês. Em Buenos Aires encontrei uma edição nova, belíssima.

A história sempre me encantou: o vazio que não pode ser preenchido por que quem deveria fazê-lo não o fez, mas sobre o qual se pode construir em cima. A questão do olhar, que me toca tanto. O olhar que não vê, o olhar que reflete, o olhar que vê mas não enxerga, o olhar que exerga o que não vê, vê além.

Atendendo os pedidos, segue o artigo do psiquiátra Mário Luíz Quilici, sobre a interpretação psiquica do filme Drácula, do Coppola, baseado no livro.


[clique aqui para ler o texto na íntegra]
por Ro, às 08:21 de 15.07.2005 - Categoria: Dicas Divinas
Ver Comentários