14.11.2005

RE-CONHECER

Edgar Degas







Eu sou o que há de outros em mim. Restos de choro e riso, de calor e envergadura, de água e cachaça, de limão e creme dental, de açúcar e carvão. Fragmentos de outros corpos, outros sonhos, outros pecados, outras angústias, outras descobertas. Remendos de tentativas inúteis e triunfais, de fracassos que deram certo, de amanhãs mil vezes recomeçados, de acalantos só, de ventre vazio, de perdidos encontros. Como uma colcha de fuxicos, eu sou o colorido de outros seres cerzido com o arame de amores nem sempre sãos, nunca de todo débeis. Frações de histórias vermelhas, azulejos trincados, músicas de ninar, cerveja barata, roupa suja lavada na rua, sussurros floridos. Amores de construção. Pedaços de vaidade, exibicionismo, pudor, compaixão, sordidez, desvelo, veneração, de medo e rouquidão. Conceitos arruinados, raivas partidas, virtudes desmanteladas, carinhos oferecidos, gargalhadas compartilhadas. Amores de unificação. Essa dureza que vês, cabe na palma de tua mão, por que eu sou o que há de outros em mim. E se não fosse assim, não seria tua.







por Ro, às 23:31 de 14.11.2005 - Categoria: Dicas Divinas
Ver Comentários

Da Série O QUE VOCÊ FAZ? Eu faço SUCESSO!

Amigo irmão caminhoneiro,
eu, como marida da nova Callas, estava a verificar o andamento das entrevistas de hoje, por que alguém tem que lucrar com isso tudo, portanto, muito mais ocupada que nossa celebridade. Mas, vejam só vocês, a gostosa da Belly disponibilizou aqui mais fotas pra vocês.


por Ro, às 16:14 de 14.11.2005 - Categoria: Informes Infames
Ver Comentários