24.01.2005

TORTA DE BANANA

A receita é dela; o talento culinário e fotográfico, modetíssima à parte, são meus. ))


- Vou fazer torta para esperar a marida quinta-feira.

Andréa, a receita é ótema, a torta ficou uma explosão de delícia, mas ao fazer a calda de açúcar, decalquei a textura do pano que usei para segurar a alça da panela nas minha recém-feitas unhas.

Eu sei, minha querida chef, Chefs não tem unhas pintadas de esmalte cintilante. Tô sabendo.

[clique aqui para ler o texto na íntegra]
por Ticcia, às 21:04 de 24.01.2005 - Categoria: Cozinhando com as Megeras
Ver Comentários

Olhem só o que esse guri aprontou.

Mas assim não vai dar! Eu já não avisei que o tempo tá feio pro meu lado!? Agora me vens com essa!


por Ro, às 18:15 de 24.01.2005 - Categoria: Ali Jabah
Ver Comentários

RAQUEL NO ESTÚDIO

Aí, Povo!

Raquel tu-di-bão Medeiros no Estudio 36 da TVCom. Não perdam!

por Ticcia, às 16:09 de 24.01.2005 - Categoria: Ali Jabah
Ver Comentários

Da Série BLOCO DE NOTAS

#1: Incluir na trilha sonora do filme inspirado na Biografia da Ticcia (não autorizada).

SOB MEDIDA
(Chico Buarque, 1979)

Se você crê em Deus
Erga as mão para os céus
E agradeça
Quando me cobiçou
Sem querer acertou
Na cabeça
Eu sou sua alma gêmea
Sou sua fêmea
Seu par, sua irmã
Eu sou seu incesto (seu jeito, seu gesto)
Sou perfeita porque
Igualzinha a você
Eu não presto, eu não presto

Traiçoeira e vulgar
Sou sem nome e sem lar
Sou aquela
Eu sou filha da rua
Eu sou cria da sua
Costela
Sou bandida
Sou solta na vida
E sob medida
Para os carinhos seus
Meu amigo
Se ajeite comigo
E dê graças a Deus

Se você crê em Deus
Encaminhe pros céus
Uma prece
E agradeça ao Senhor
Você tem o amor
Que merece


por Ticcia, às 15:45 de 24.01.2005 - Categoria: Miudezas em geral
Ver Comentários

STINGS DA TICCIA

Está bom, eu pergunto, coração aos pulos. Ele, lábios sujos de molho, luta para não sorrir e responde Isso é o melhor que consegues fazer? Empalideço e ele gargalha.

************************

Assim que abro a porta ele me olha e diz cortou bem curto, há repreensão na voz. Estás parecendo uma francesinha e eu sou a mulher mais feliz do mundo.

************************

Ele me diz que tudo na vida que lhe faz mal é encapsulado e soterrado com toneladas de terra, num buraco bem fundo, no lugar mais inacessível. E por que não me enterraste?, quero saber. Porque não me fazes mal, ele diz, tu és o único suspiro de alívio no meio dessa dor toda.

************************

O maior homem do mundo deita a cabeça sobre a minha barriga e encolhe as pernas como um bebê. Sinto o calor do rosto dele sobre o ventre, os cabelos molhados de suor, a respiração tocando leve a minha pele úmida. Se um dia me perguntarem um momento a ser eternizado, é este.

************************

Ele me olha e acho que ele quer me dizer alguma coisa. Peço que diga. Ele hesita. Diz, insisto. Ele passa os braços por baixo de mim, solta o peso do corpo sobre o meu, olha dentro dos meus olhos fixamente como nunca havia feito antes e diz Eu te amo.

************************

Ainda bem que já passou, ele diz e me olha esperando a confirmação. Eu desvio os olhos, busco convicção onde não há e balbucio É.

por Ticcia, às 11:44 de 24.01.2005 - Categoria: Miudezas em geral
Ver Comentários

Quando chegou a hora, chegou a hora.



Eu procurava um homem forte. Tão forte quanto eu. Que soubesse reconhecer aquela resistência que vinha de dentro quando não conseguisse fraquejar diante de nada, nem do medo. Eu procurava um homem fortaleza. Cheio de encostas e rochas e escarpas. Um homem inquebrável, resistente e altivo, elegante e arrojado. Alguém que perseguisse sonhos até não se dar conta de que eles já estavam encampados na rotina do café com adoçante e substituídos por novas buscas pungentes. Eu procurava um homem que me fizesse sentir segura caminhando ao lado, que não fugisse de susto ao ouvir meus velozes passos tilintando no salto agulha. E que sorrisse ao ver o rebolado de minhas ancas ao cruzar por ele, meio correndo meio de arrasto. Um homem que não sofresse de corda bamba diante de uma mulher suficiente e ambiciosa.

Quando encontrei, desejei mais. Talvez seja uma característica feminina a busca incessante de algo a mais, ou talvez minha mãe tenha razão e eu seja uma criatura fadada ao insucesso pela eterna insatisfação. Em toda morte há uma inutilidade que vira serventia quando a gente se recupera. Eu queria mais por que a força sem a maleabilidade se tornou rígida e árida. É preciso um tanto de suavidade para deixar o molho leve.

Continua aqui...
por Ro, às 11:37 de 24.01.2005 - Categoria: Apoplexia Poética
Ver Comentários

EU JURO!

Sua lente de contato se rebelou bem na hora que você está indo buscar sua amiga para irem à Baga-Sexta. Oh, oh, oh, muitas lágrimas, algum desespero e direção perigosa com um olho só depois, você decide parar numa farmácia de posto de gasolina para comprar um colírio, lenços de papel, soro fisiológico ou um olho novo, o que for mais rápido.

O posto está um atrolho de gente porque sabe-se lá por que motivo, meninos, meninas e seres de outro planeta andam com a mania de se acotovelar entre bombas de combustível e lojas de conveniência antes de partirem para a balada.

Você conduz seu bólido reluzente por entre a selva de automóveis, minas, manos e frentistas e nota que há um imenso carro importado parado em frente à vaga da farmácia, obstruindo a entrada. Você buzina gentilmente e vê o bofe lindíssimo que está dentro do carrão sorrir. Você sinaliza que precisa entrar na farmácia. Ele acena positivamente com a cabeça, ainda sorrindo, e coloca o carro mais para frente.

Você desce do carro e confere, com o cantinho do olho que não está lacrimejando, que o bofe está te observando. U-a-u.

Muito tempo depois, já com a lente limpinha, o colírio na bolsa e os lencinhos à mão, você sai da farmácia e resolve dar uma panorâmica no posto para ver se o bofe ainda está lá. Olha, nada discretamente, para um lado e outro, aperta os olhinhos, fica na pontinha dos pés até ouvir uma leve buzinadinha. É o bofe, que assistiu toda a sua bandeira/desespero, parado charmosamente do outro lado da rua. Você sorri, mas queria mesmo era se atirar no chão e esperniar de desespero.

Você sai do posto e o semáforo fecha. Ele pára ao lado, se apresenta, pergunta seu nome e para onde você está indo. Você diz que vai pegar uma amiga para irem a uma festa numa boite que é reconhecidamente gay, mas que só hoje não é. Ele ri. Você diz que jura. Ele diz que passa lá depois. Óbvio que não aparece. Deve ter achado que você estava debochando dele.

Bem feito. Quem manda freqüentar Baga-Sexta. Hohoho.


Hoje é Baga-Sexta, não é noite gay!

por Ticcia, às 10:20 de 24.01.2005 - Categoria: Estórias da Carrocinha
Ver Comentários

COZINHANDO COM AS MEGERAS



No aniversário sa Solineuzza não pude fazer a deliciosa massa com molho de camarão. O Welintom, filho dela, tem alergia. Pobre e perebento, tadinho. Daí resolvi fazer:


PENNE AO PESTO ROSSO

Ingredientes


500g de penne
1 vidro de tomates secos em óleo
200 ml de azeite de oliva
200g de nozes picadas
folhas de manjericão fresco


Modo de Fazer

Passe os tomates secos escorridos pelo processador ou liquidificador e vá incorporando o azeite de oliva até obter uma pasta.
Cozinhe a massa. Quando ela estiver quase pronta, coloque as nozes na pasta e bata mais um pouco. Escorra a massa, e na mesma panela onde ela foi cozida (que está quente), adicione a pasta e misture bem na massa, até que ela fique toda envolta no pesto. Salpique as folhas de manjericão, passe para uma travessa pré-aquecida e sirva imediatamente.


OBS.: Note que esta é uma massa para ser servida no verão, já que o molho é frio e ela fica pouco quente. Não aconselho a aquecer o pesto, já que as nozes perdem a crocância.

por Ticcia, às 10:02 de 24.01.2005 - Categoria: Cozinhando com as Megeras
Ver Comentários

MARISA: por que você merece!

Você não está nos seus melhores momentos. Quando isto acontece, há dois lugares onde NÃO PODE ENTRAR, de jeito nenhum. Você se conhece, afinal, são 8 anos de tratamento, então NÃO ENTRE LÁ: as conseqüências serão incalculáveis E VOCÊ SABE. Mas como você está numa fase F%&*-SE, FOI. Teimou, bateu pé e FOI, ENTROU LÁ. Não contente, ficou umas três horas lá dentro. E saiu da Livraria Cultura com um bonus de R$ 20,00 para a próxima compra de CDs.

Britney Spears - Greatest Hits, My Prerogative: assumo, sou uma mulher-bicha!

Annie Lennox - Diva: bem que a paidrasta podia ser parecida com ela.

Travis - Singles: sim, eu tenho um lado cool que é sufocado mas que as vezes se revolta e me domina de uma tal forma...

Afro Cuban All Stars - A Toda Cuba Le Gusta: um bafo! E eu estou seriamente inclinada a passar férias na terra do Camarada Ruz.

Nicola Conte - Other Directions: por que eu me odeio. É a única explicação para uma criatura comprar este CD neste estado emocional vulcânico.

Quanto ao outro lugar que você não pode entrar quando está em crise... aquele assim... escuro... bom, este não é o espaço mais adequado para se falar sobre isto!
por Ro, às 09:40 de 24.01.2005 - Categoria: Geral
Ver Comentários